Na Cozinha: Escalopes à italiana

Eu sei que as receitas são um pedido constante aqui no blog, e por isso vou me esforçar para atualizar esta seção semanalmente, ok? E para compensar a ausência, essa semana vou postar duas receitas!!

Esta receita é bem simples, mas muito saborosa, boa para dar um toque especial ao seu almoço ou jantar do dia a dia.

Escalopes à italiana

*serve 4 pessoas

Ingredientes

5 col. sopa de manteiga

4 escalopes de filé mignon (pode usar maminha, também fica bom)

1 cebola,cortada em 8

2 dentes de alho, amassados

4 batatas grandes, cortadas em cubos

1 lata de tomates pelados (eu uso esta aqui)

150 ml de vinho tinto

300 ml de caldo de carne

4 tomates, sem pele e sem sementes, cortados em cubos

2 col. sopa de manjericão picado

25g de azeitonas pretas, sem caroço

sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:

1) Aqueça a manteiga numa frigideira grande, em fogo médio, junte as batatas em cubos e cozinhe durante 5-7 minutos, mexendo frequentemente até que elas fiquem douradas. Retire as batatas da frigideira e reserve.

2) Coloque os escalopes numa frigideira e deixe cozinhar durante 2-3 minutos de cada lado, até selar a carne. Retire da frigideira e reserve.

3) Em uma panela, junte as cebolas e o alho e salteie durante cerca de 2-3 minutos. Junte os tomates pelados e cozinhe durante 1 min, mexendo. Gradualmente, vá juntando o vinho e o caldo de carne, mexendo constantemente para fazer um molho suave.

4) Ponha de volta a carne e as batatas na panela, junte os tomates, as azeitonas e o manjericão picado e tempere a gosto com sal e pimenta.

5) Transfira para uma caçarola grande, ou uma assadeira alta coberta com papel alumínio, e leve ao forno previamente aquecido à 180°C, durante cerca de 1h ou até que as batatas e a carne estejam bem cozidas.

Deve ficar algo mais ou menos assim.

6) Transfira para 4 pratos previamente aquecidos, guarneça com manjericão e sirva!

Gostaram?? Fica parecendo um prato de bacalhau.. Deixem comentários!

beijos

Anúncios

Artigo da Semana: Os segredos sujos da indústria de alimentos processados – parte 4

Depois de muito tempo, vamos para a última parte do Artigo da Semana.

Para ler as anteriores: parte 1 ,  parte 2 e parte 3. 

GORDURAS E ÓLEOS INDUSTRIALIZADOS

O império dos alimentos processados é construído nas gorduras e óleos industriais, extraídos do milho, grãos de soja e outras sementes. O óleo vegetal cru – que é escuro, pegajoso e fedorento – é submetido a processamentos horrendos para produzir os óleos de cozinha claros como margarina, óleo de soja, etc. Os passos inclusos no processamento são: decruagem, clareamento, desodorização, filtrageme remoção das saturadas para tornar o óleo mais líquido. No processo, os nutrientes e antioxidantes desaparecem, mas não os pesticidas. A maior parte dos processadores também adicionam  solvente de hexano para extrair até a ultima gota de óleo das sementes. O refinamento cáustico, o mais utilizado no refinamento de óleos, envolve o uso de químicos muito alcalinos no óleo.

Para fazer uma gordura sólida do óleo líquido, os produtores submetem o óleo a um processo chamado de hidrogenação parcial. O óleo é extraído por meio de alta temperatura e pressão, e as partículas restantes do óleo são extraídas por meio de solvente de hexano. Os produtores então limpam o óleo usando vapor, o que remove todas as vitaminas e os antioxidantes, mas, é claro, os solvente e os pesticidas permanecem. Estes óleos são misturados com um catalisador de níquel, e então, submetidos a alta temperatura e pressão, são inundados com gás hidrogênio. O que entra no reator é um óleo líquido, o que sai dele é uma massa fedorenta que se parece com um queijo cottage cinza. Emulsificantes são adicionados para suavizar as bolotas que se formam e o óleo é vaporizado novamente, para se livrar do cheiro fedorento. O próximo passo é o clareamento, para eliminar a cor cinza. Neste ponto, o produto pode ser chamado de “óleo vegetal puro”. Para fazer a margarina, sabores artificiais e vitaminas sintéticas são adicionadas. Porém, o governo não permite que a indústria adicione corantes artificiais, eles devem adicionar corantes naturais. A margarina então é embalada e vendida como um produto saudável.

A gordura saturada é o tipo de gordura encontrada na banha de porco, manteiga e óleo de coco. As moléculas de gordura saturada são retas, por isso se agrupam com facilidade. É por isso que a gordura saturada fica dura em temperatura ambiente. A gordura insaturada tem uma pequena curva em cada ligação dupla, com dois átomos de hidrogênio saindo para fora do mesmo lado. E quando esta molécula é incorporada nas suas células, o seu corpo quer que estes dois átomos de hidrogênio estejam do mesmo lado da cadeia de carbono, formando uma nuvem de elétrons; é aí que as interações químicas controladas acontecem.

Durante o processo de hidrogenação parcial, um destes átomos de hidrogênio é movido para o outro lado, fazendo com que a molécula fique reta, comportando-se quimicamente como uma gordura saturada – embora bioquímicamente, ela se comporte muito diferente. A molécula original, insaturada, é chamada de ácido graxo “cis”, pois os dois hidrogênios estão juntos, então ela se transforma em um ácido graxo trans, pois os dois hidrogênios estão em lados opostos (trans significa oposto). O seu corpo não sabe que esta nova molécula é algo que nunca existiu antes na natureza, e quando você come uma destas gorduras trans, ela fica presa dentro da membrana celular. Por causa do rearranjo químico, as reações químicas que deveriam acontecer não podem se realizar. As enzimas e receptores não funcionam mais. Quanto mais gordura trans você consome, mais parcialmente hidrogenadas as suas células se tornam e mais caos você causa no nível celular do seu corpo.

De cima para baixo: gordura saturada, gordura natural monoinsaturada e gordura trans

Todos os tipos de margarina, mesmo as sem gordura trans, são feitas com estes ingredientes prejudiciais. Eles são utilizados em batatinhas e bolachas, e a maioria dos restaurante os utiliza nas frituras. Até o começo da década de 80, os restaurantes fast food cozinhavam suas frituras em gordura animal, que é uma gordura segura, mas agora eles usam gordura parcialmente hidrogenada, como o óleo de soja.

No passado, quando você fazia sobremesa para as crianças, pelo menos o açúcar que estas sobremesas tinham era combinado à manteiga, ovos, creme e nozes – todos alimentos bons e naturais. Hoje, os fabricantes podem imitar a manteiga, ovos, creme e nozes, então tudo o que você tem é o açúcar, óleos industriais e outros ingredientes artificiais nestas sobremesas prontas.

Muitas doenças tem sido associadas ao consumo de gorduras trans – doenças cardíacas, câncer e degeneração de juntas e tendões.  A única razão pela qual nós estamos comendo estas coisas é porque nos disseram que a gordura saturada – manteiga, banha, óleo de coco, óleo de palma – são ruins para nós e causam doenças cardíacas. Estas afirmações não passam de propaganda da indústria.

O PREÇO OCIDENTAL

Weston A. Price descobriu que as populações, ao adotarem os alimentos processados em suas dietas, vem apresentando uma diminuição da sua estrutura facial a cada geração. Rostos saudáveis devem ser fortes. Nós todos fomos devemos ter dentes completos e sem cavidades. Quando você está se alimentando de comidas reais, densas em nutrientes, você tem a perfeita expressão do seu potencial genético. Nós recebemos um planta perfeita. Se o templo corporal será construído de acordo com esta planta depende, em grande quantidade, da sabedoria das nossas escolhas alimentares.

Quando as sociedades primitivas abandonaram as suas dietas tradicionais e começaram a ingerir alimentos processados, a próxima geração desenvolveu uma estrutura facial mais frágil e diversas doenças. Nós sabemos que se continuarmos nesta dieta por três gerações, a reprodução cessa. Este é o preço terrível do ocidente, o preço ocidental. A civilização irá morrer a não ser que se adote o estilo alimentar dos nossos ancestrais. Isso significa virar as costas para os alimentos processados e voltar para a cozinha, para preparar alimentos reais – contendo gorduras saudáveis – para nós e nossas famílias.

A MELHOR MANEIRA DE PREPARAR A COMIDA – COM AMOR

A preparação de comida é na verdade um ritual sagrado: de acordo com o conhecimento esotérico “se uma mulher pudesse ver as partículas de luz que saem de suas mãos quando ela cozinha e a energia que entra no alimento que ela está preparando, ela veria o quanto dela mesma entra na refeição que ela prepara para sua família e amigos. Esta é uma das atividades mais importantes e é pouco compreendido pelas pessoas que os sentimentos que vão na preparação de um alimento afeta a todos que irão comê-lo depois. Esta atividade deve ser feita sem pressa, com paz e felicidade porque a energia que flui naquele alimento impacta na energia daquele que o recebe”.

” É por isso que os líderes espirituais do oriente nunca ingerem alimentos que não sejam preparados por seus discípulos. A pessoa preparando o alimento pode ser a única que é espiritualmente elevada. ”

Para ser saudável, é preciso preparar sua própria comida, para você e sua família. Isso não significa que você precise passar horas na cozinha, mas é necessário sim, passar algum tempo lá, preparando comida com sabedoria e amor. Se ninguém na família tem tempo de cozinhar, você precisa sentar e repensar como está usando o seu tempo, pois este é o único modo de dar alimentos nutritivos aos seus filhos. Nós podemos retornar às boas práticas alimentares uma boca de cada vez, uma refeição de cada vez, preparando nossa própria comida e fazendo-o da maneira correta.

Chegamos ao fim deste artigo, semana que vem trago um novo artigo interessante para vocês!

Este artigo é uma tradução livre, e o original pode ser encontrado em http://www.westonaprice.org/modern-foods/dirty-secrets-of-the-food-processing-industry

%d blogueiros gostam disto: