Programa Primal de Verão – Dia 13

Bom dia! Hoje decidi simplificar a rotina de exercícios aqui no blog. Ao invés de falar todos os dias sobre o que você deve fazer, achei melhor organizar desta maneira, assim você monta o seu treino de acordo com a sua disponibilidade. Clique na foto para aumentar.

Para saber quais exercícios são indicados na parte de “levante coisas pesadas”, clique aqui.

Aguardem, em breve teremos os vídeos dos exercícios e também o teste para saber por qual nível de dificuldade você deve começar.

Bom treino!!

PS: Já está participando do sorteio do suplemento de omega 3?? Clique aqui e descubra como ganhar! As chances são altas!

Programa Primal de Verão – Dia 6

Ok, estou devendo dois dias do desafio! Peço mil desculpas, mas não consegui postar nestes últimos dois dias! Compensarei com posts retroativos, tudo bem?

Então vamos ao que interessa… hoje é dia de malhar!

Falamos muito aqui sobre como a mudança na alimentação ajuda a perder peso e conquistar mais saúde por muito mais tempo, mas este não é o único fator relevante para o atingimento desta meta. Um dos fatores que contribui muito para um estilo de vida melhor é a prática de exercícios. Já falei aqui sobre exercícios aeróbicos de baixa intensidade e da importância de brincarmos um pouco. Hoje daremos ênfase no treinamento de força.

Para começar, apresento a pirâmide Fitness Primal Blueprint:

Traduzindo de cima para baixo:

Sprint (corrida rápida)

– Máximo esforço, curta duração

– Menos de 10 minutos de duração total

– Uma vez a cada 7-10 dias

Levante coisas pesadas

– Sessões breves e intensas de movimentos funcionais para o corpo todo

– 1-3x por semana, com duração de 7 a 60 min

Movimente-se frequentemente em ritmo lento

– Caminhar, escalar, andar de bicicleta ou outras atividades cardio leves

– Com uma frequência cardíaca máxima de 55-75%, 2-5 horas por semana

Esta pirâmide foi elaborada levando em consideração os hábitos dos nossos ancestrais. Eles corriam muito rápido de vez em quando (quando estavam em situação de perigo ou tinham que fugir de um ataque) e também andavam longas distâncias num ritmo lento (buscando comida, abrigo ou se locomovendo).

Além disso, os seres humanos vem realizando alguns movimentos básicos há milhares de anos, simplesmente pela necessidade das suas vidas e são esses movimentos que vamos enfatizar hoje. Por exemplo, o agachamento era uma posição de relaxamento e descanso, em uma época que não haviam cadeiras. Eles também subiam em árvores para escapar de predadores e  escalavam morros e colinas para obter alimentos – movimentos que equivalem ao trabalho muscular com o exercício em barra fixa.

Mark Sisson, criador da pirâmide Primal Blueprint Fitness, define 5 movimentos essenciais, que trabalham grandes grupos musculares ao mesmo tempo e que garantem fortalecimento e definição dos seus músculos. Ou seja, você não precisa mais gastar horas do seu tempo fazendo exercícios repetitivos na academia! Basta executar estes 5 movimentos essenciais (e também os outros itens da pirâmide – que detalharei posteriormente) e você atingirá os resultados desejados.

* IMPORTANTE: antes da descrição dos exercícios, preciso dizer que todos eles possuem diferentes níveis de dificuldade. Estou traduzindo os vídeos explicativos de cada um desses exercícios e em breve vocês terão acesso à tudo no nosso canal no Youtube. Aguardem! Enquanto isso, pratique os exercícios abaixo com moderação, respeitando seus limites.

1. Flexão

Provavelmente o melhor exercício para o fortalecimento dos músculos, trabalhando com o corpo todo, fortalecendo o tronco e abdômen evitando algumas lesões que podem ocorrer em outras variações.

2. Barra

Como eu disse acima, esse era uma movimento praticado com regularidade pelos nossos ancestrais – pense em um homem subindo em um cipó, no entanto, hoje em dia a maioria das pessoas não consegue se erguer numa barra com facilidade (me incluo nessa – ainda bem que tem variações mais fáceis desse exercício!). Mas isso precisa mudar e o treinamento desse exercício pode ser feito em qualquer lugar.

3. Agachamento

Um agachamento bem feito é perfeitamente seguro e suporta a saúde dos joelhos. Trabalha os grandes músculos das pernas e é ótimo para os glúteos (mulherada, olha o verão aí!!)

4. Prensa invertida

Um ótimo exercício de força – e você só precisa de um banco para conseguir realizá-lo! Esse com a bola é só um exemplo do movimento.

5. Prancha

Sim, um exercício completo que, além de te dar o six-pack dos sonhos, trabalha todos os músculos centrais do seu corpo e garante a estabilidade e postura corporal.

Você deve ter notado que todos os exercícios dispensam o uso de equipamentos e pesos. Isto foi elaborado propositalmente pelo Mark, para que qualquer um possa realizar estes movimentos onde quer que estejam. Você pode adicionar peso aos movimentos se sentir necessidade, mas a ideia aqui foi mostrar que você não precisa gastar rios de dinheiro com academia, nem se preocupar em ter uma grande infra-estrutura para ficar em forma. Afinal, nossos ancestrais tinham um corpo forte, magro e definido, sem nada disso!

O que achou do programa? Comente!

Por que ser Primal?

Existem diversas razões para que qualquer pessoa considere se tornar Primal, dentre elas estão: melhor saúde, condicionamento físico, maior disposição e  melhor capacidade cognitiva.

O estilo de vida Primal é baseado em princípios de evolução genética. Nosso desafio é unirmos o melhor de nosso potencial genético com as condições de vida as quais somos impostos por nosso estilo de vida moderno. Por meio da adoção das práticas comuns aos nossos antepassados, ou seja, aquelas que nos possibilitaram evoluir como espécie, geração após geração, podemos ter melhor saúde, condicionamento físico, maior disposição e  melhor capacidade cognitiva. O estado de saúde de nossos ancestrais é comprovado cientificamente por diversos estudos antropológicos de populações caçadoras-coletoras atuais, por meio de análises de fósseis e experimentos científicos controlados.

Trazemos à vocês este guia Primal, para que vocês possam descobrir os benefícios por vocês mesmos. Com ele, você pode aprender sobre os benefícios de adaptar o estilo de vida de nossos ancestrais às nossas vidas modernas:

 Os 10 mandamentos do estilo de vida Primal de nossos ancestrais:

  1. Coma muitas plantas e animais
  2. Movimente-se muito, mas lentamente
  3. Levante coisas pesadas
  4. Corra muito rápido de vez em quando
  5. Durma bastante
  6. Brinque
  7. Tome um pouco de sol todos os dias
  8. Evite desastres
  9. Evite coisas venenosas
  10. Use o seu cérebro
  • Aprenda sobre o conceito que irá garantir à você o controle de peso para a vida toda, não importa quem você seja, quanto você pesa, ou suas tendências genéticas.
  • Aprenda os motivos pelos quais você tem “desejos” por açúcar e os passos a serem tomados para que você elimine esses “desejos” para sempre.
  • Controle naturalmente seu apetite e nível sanguíneo de açúcar tão bem, que às vezes você terá que se lembrar de que você precisa comer!
  • Queime sua gordura visceral (barriga) e use-a como sua fonte de energia durante o dia.
  • Descubra como uma dieta com pouca gordura e baseada em grãos pode desencadear doenças.
  • Descubra como uma dieta com alto teor de proteínas e gorduras fará com que você perca peso e por que ela é a mais saudável.
  • Liberte-se da noção de que você tem que contar calorias diariamente e controlar o peso das refeições! Ao invés disso, coma como nossos ancestrais comiam e você ficará satisfeito em todas as refeições, comendo o quanto sentir vontade.
  • Descubra uma estratégia completa para se alimentar e se exercitar, que é divertida e natural, até mesmo para as pessoas menos motivadas!
  • Alcance melhor condicionamento físico em muito menos tempo e sem sofrimento.
  • Melhore sua  capacidade cardiovascular
  • Reduza drasticamente os riscos a desenvolver doenças como artrite, diabete, doenças cardíacas e câncer.
  • Estabilize o seu nível de glicose sanguíneo sem medicamentos.
  • Controle naturalmente as condições que são normalmente tratadas com remédios para depressão, hipoglicemia, diabetes e pressão alta.
  • Passe o inverno sem gripes e resfriados.

Faça tudo isso e muito mais, aprendendo precisamente quais alimentos, exercícios e comportamentos saudáveis que são detalhados aqui no Primalbrasil.

 Nós nos dedicaremos diariamente para ajudar vocês a fazerem essa transição para uma vida saudável e livre de doenças com o maior conforto possível. Quando tivemos que tomar a decisão de montar este blog também tivemos que enfrentar resistências pessoais e descrenças em relação à nossa capacidade de motivar vocês leitores a experimentarem o estilo de vida Primal e a seguir nossos conselhos, que se diferem em muitos aspectos dos atuais hábitos alimentares de nossa sociedade.

É possível enxergar nossa atual condição de outra forma, se pensarmos que milhões de pessoas no Brasil na maioria das sociedades ocidentais estão sofrendo uma epidemia de doenças crônicas e obesidade. Como já foi comprovada, por vários cientistas, a correlação entre obesidade e doenças crônicas, então talvez devessemos nos perguntar: “Se estamos fazendo tudo certo, por que estamos nos direcionando cada vez mais para essas doenças?  Estamos fazendo algo errado, não?” É exatamente esta pergunta que exploramos em nosso blog. E podemos garantir a vocês: algo está errado sim, e essa é uma tendência mundial. 

A maioria das pessoas está ciente deste fato e tenta tomar iniciativas para não seguir esta tendência, porém, grande parte delas não consegue, por estar seguindo uma alimentação incoerente com nosso desenvolvimento genético como espécie. E é exatamente isso que impede estas pessoas de emagrecerem. Não é preciso ser um viciado em academia, atleta, ou neurótico durante as refeições, basta apenas que se mostrem abertos a esta possibilidade de mudança estraordinária que oferecemos a vocês.

Inscreva-se para receber os artigos diariamente e lembre-se de que o sucesso está em suas mãos!

 Um ótimo começo de semana Primal à todos.

Movimente-se! O efeito da atividade física no cérebro

Como a cultura mudou os hábitos do Homo Sapiens

Hoje inauguro mais uma seção no blog! Movimente-se é um seção dedicada às atividades físicas, parte importante e essencial do estilo de vida Primal. As atividades físicas têm sido recomendadas por cientistas e médicos para o tratamento de depressão e a melhoria da memória. Exercícios, em particular, levam a produção de certos neurotransmissores no cérebro responsáveis por aliviar a dor física e mental e aumentar o potencial sináptico, ou seja, fortalecer as conexões dos neurônios no cérebro. Boa parte dos cientistas também acredita que a atividade física promove o crescimento de novos neurônios. A maioria das pesquisas nessa área tem sido focadas em exercícios aeróbicos, que exercem seu efeito no cérebro por meio de vários mecanismos, incluindo a neurogenesis, melhora do humor e liberação de endorfina. Tentarei descrever como esses mecanismos agem para melhorar as funções cognitivas e para melhorar o humor. Depois, irei explicar porque o exercício é naturalmente rejeitado em nossa sociedade atual, apesar dos enormes efeitos de recompensa gerados após a prática. 
 

Uma das mudanças mais significativas gerada pela prática regular de exercícios aeróbicos é a neurogenesis, ou seja, criação de novos neurônios. Novos neurônios são gerados no hipocampo, a área do cérebro responsável pela criação de memórias e  inteligência espacial. Em nível celular, o estresse gerado pelo exercício físico é responsável por estimular o fluxo de cálcio, que ativa os “fatores de transcrição”,nos neurônios do hipocampo já existentes. Os fator de transcrição ativa a expressão do gene, ou seja o fator neurotrófico entregue ao cérebro (BDNF), criando proteínas BDNF que agem para promover neurogeneses. Assim a geração do BDNF é uma resposta protetora ao stress e o BDNF age não somente para gerar novos neurônios, mas também para proteger os já então existentes e para promover plasticidade cerebral (plasticidade cerebral é a eficiência da transmissão sináptica entre neurônios, que é considerada a base para o aprendizado e a memória).

A manutenção dos neurônios do hipocampo é particularmente mais relevante para indivíduos acima dos 30 anos, já que é nessa idade que o corpo naturalmente começa a sofrer perda gradual de conexões cerebrais devido a perdas hormonais. Os exercícios aeróbicos agem de forma a reforçar as conexões cerebrais entre neurônios, criando uma rede mais densa, a qual se torna mais capaz de processar e guardar informações. Este fato somado com pesquisas controladas sugere que os exercícios aeróbicos agem com efeito terapêutico para a prevenção de doenças degenerativas como o Alzheimer e Parkinson, que progridem por meio da perda de neurônios. Realmente a correlação entre Alzheimer e estilo de vida, como atividades físicas, relações sociais, prática de uma segunda língua é obvia e já foi provada por muitas pesquisas. Além disso, o exercício tem demonstrado maior proteção contra Parkinson em experimentos em laboratórios com ratos, pois aumentam a produção do neurotransmissor Dopamina, que é responsável pela excitação, atenção e concentração.
 
A melhora cognitiva foi constatada pela seguinte pesquisa controlada: um grupo de indivíduos de 60 a 75 anos e um grupo de indivíduos de 18 a 24 anos foram acompanhados realizando exercícios em um ambiente controlado. O resultado foi a melhora de funções cognitivas como planejamento, organização e memória de trabalho no grupo de indivíduos mais velhos, enquanto no segundo grupo os benefícios foram menos óbvios. Em compensação, uma análise de ondas cerebrais foi conduzida para medir a velocidade cerebral em resposta a estímulos antes e após o inicio das atividades físicas. No grupo mais jovem, houve um aumento de 35- milissegundos na velocidade, no segundo grupo, houve menor perda cognitiva.

Exercícios e felicidade

Não é possível somente se exercitar para alcançar excelência cognitiva, porém a atividade física otimiza os funções cognitivas durante atividades que demandam raciocínio lógico. É possível se exercitar para alcançar melhora de humor e mais felicidade, já que ela tem mostrado grande correlação como tratamento de depressão em diversos estudos. O que normalmente gera a depressão é a falta de um neurotransmissor inibidor responsável pela regulação do humor chamado serotonina, junto como o neurotransmissor excitatório noradrenalina. Os exercícios em geral aumentam a concentração desses neurotransmissores por meio da estimulação do sistema nervosa. Mais além a serotonina tem uma relação recíproca com o BDNF, já que o BDNF aumenta a produção de serotonina e ao mesmo tempo a serotonina estimula a produção do BDNF. Como o exercício aumenta a produção de BDNF diretamente, ocorre um reforço do ciclo de serotonérgico no BDNF, indicando que atividade física tem uma grande potencial para melhorar o humor.

 Outro fator a ser considerado é a endorfina, que é um hormônio liberado pela glândula pituitária em resposta ao stress ou dor. Exercícios aeróbicos, principalmente, estimulam a produção de endorfinas após 30 minutos de atividade. A endorfina tende a minimizar o desconforto do exercício e ainda gera uma sensação de euforia. Não se sabe se a endorfina é diretamente responsável pela sensação de euforia ou se ela age bloqueando a dor e assim permitindo que o sentimento de prazer associado aos neurotransmissores como a dopamina e serotonina se tornem mais aparentes. Se o último for verdadeiro, significa que há uma conexão com o BDNF via ciclo da Serotonina- BDNF. Novamente o BDNF é o neurotransmissor responsável pelo benefício dos exercícios, de forma a minimizar a resposta do corpo ao stress e que promove a neurogenese. A endorfina é viciante portanto uma vez que uma rotina for estabelecida o corpo sentirá necessidade de doses regulares de endorfina. De fato, o efeito da endorfina é muito notável e se assemelha a opióides como a morfina e a heroína.
 
Sendo tantos os benefícios associados a atividade física, qual será o motivo pelo qual somente 15% dos americanos fazem atividades físicas?
 
A razão talvez se fundamente no fato de que o ser humano moderno, diferentemente de nossos ancestrais da época pré-agricultura que surgiu aproximadamente á 10.000 anos atrás, não depende da caça para sobreviver, pois a agricultura proporcionou um rápido estoque de alimentos anuais. Sendo assim o as atividades físicas se tornaram menos necessárias para a sobrevivência do ser humano aparentemente a curto prazo. Isso fez com que o ser humano ficasse menos motivado a se locomover e assim gerando o hábito sedentário.
 
Mas então porque que sabendo de todos os benefícios associados à prática regular de exercícios, o ser humano em geral não se compromete?
 
Nosso mecanismo cerebral responsável pela motivação ocorre nos centros dopaminérgicos do cérebro, o qual opera por meio do ciclo estímulo-resposta, que se baseia no princípio de que para haver motivação e portanto estímulos é necessário que exista uma gratificação imediata.  A resposta certamente está no fato de que a recompensa ou gratificação gerada pela atividade é atrasada, ou seja, não se pode notar um efeito imediato. São necessários 30 minutos de atividade para que o efeito eufórico seja alcançado. Este efeito nem sempre é alcançado por indivíduos que não tem o hábito de se exercitarem. Com tantas distrações em nossa sociedade atual, como trabalho, televisão e vídeo games, estamos nos tornando habituados com esse estilo de vida. Além disso, temos o fato de que o subconsciente pode usar o sentimento de fadiga como uma resposta antecipada de regulação ao exercício, a fim de preservar a homeostase, assim possivelmente desencorajando a continuação do exercício por tempo suficiente.
 
Conclui-se que é mais provável que em curto prazo somente a dor e o desconforto associado a pratica de atividades físicas é percebido por não adeptos, assim os tornando mais propensos a desistir. Para que ela passe a fazer parte da rotina das pessoas em nossa sociedade talvez seja preciso encontrar meios de motivação para a sociedade em geral, para que seu efeito eufórico seja notado para que assim o corpo naturalmente trabalhe para que a prática seja desejada e conseqüentemente incorporada em nosso cotidiano.

Nos próximos posts explorarei a relação entre nossa alimentação e hábitos sedentários.
 
Um ótimo dia a todos.

Referências

  • McKimmie, Marnie. (2005). “Walk away from depression.” The West Australian (Perth), online.
  • “How to Maintain Brain Power.” (2005). Help the Aged, online.
  • “Exercise fatigue may be part of a response coordinated in the subconscious brain.” (2004). Obesity, Fitness & Wellness Week, online.
  • “Keep Your Noggin Fit With Brain Exercise.” (2003). Southern Illinois Healthcare, online.
  • Francis, Lori. “The Biology of Pleasure.” online.
  • “How Does Exercise Affect Our Mood?”
  • Russo-Neustadt, A.A., R.C. Beard, Y.M. Huang, and C.W. Cotman. (2000). “Physical Activity and Antidepressant Treatment Potentiate the Expression of Specific Brain-Derived Neurotrophic Factor Transcripts in the Rat Hippocampus.” Neuroscience, 101, 305-312.*
  • Rhodes, Justin S., Susan Jeffrey, Isabelle Girard, Gordon S. Mitchell, Henriette van Praag, Theodore Garland, Jr., and Fred H. Gage. (2003). “Exercise Increases Hippocampal Neurogenesis to High Levels but Does Not Improve Spatial Learning in Mice Bred for Increased Voluntary Wheel Running.” Behavioral Neuroscience, 117, 1006-1016.*
  • Mattson, Mark P., Wenzhen Duan, Ruqian Wan, and Zhihong Guo. (2004). “Prophylactic Activation of Neuroprotective Stress Response Pathways by Dietary and Behavioral Manipulations.” NeuroRx.
  • Farley, Tom, and Deborah Cohen. (2001). “Fixing a Fat Nation.” Washington Monthly, online.
  • “The Antidepressive Effects of Exercise.” online.
  • Sanders, Jenny. “Brain Physiology.”
%d blogueiros gostam disto: